Pular para o conteúdo principal

Destaques

Broa Caxambu (bolacha de fubá)

Acredito que você ja comprou nas padarias aquelas bolachas de fubá muito gostosas para o café da manhã ou da tarde, esta é a receita delas.

Experimente, é muito fácil de fazer.

Ingredientes:

500 gramas farinha de trigo 500 gramas fubá 500 gramas açúcar refinado 1 colher (sopa) rasa de fermento em pó 1 colher (chá) sementes de erva-doce 5 colheres (sopa) manteiga sem sal (100g)3 ovos 1 ovo para pincelar 125 gramas de margarina  
Preparo:

Peneire as farinhas.
Coloque as farinhas em uma bacia, acrescente o açúcar, o fermento e a erva doce, misture bem.
Adicione a manteiga e vá misturando com as pontas dos dedos até incorporar bem.
Em seguida adicione os ovos e misture até obter uma massa homogênea bem firme como mostra a foto (se necessário acrescente um pouquinho de água para chegar no ponto)
Unte a as assadeiras.
Modele as broas em forma de bolas, achate levemente deixando com um formato de um disco, e vá arrumando uma a uma nas assadeiras.
Misture uma gema com uma colher de café forte e …

Aprender



Viver com alguém que se ama, não é só uma oportunidade de conhecer o outro, mas também uma chance de conhecermos a nos mesmos, nossos limites, tolerância, aflições, desejos.
Apenas quando nos enxergamos por inteiro é que percebemos o medo de nós mesmos, e então temos que nos dar conta de que precisamos evoluir, nos tornar uma pessoa melhor.
Temos que realizar um processo de aprendizado todo dia a todo instante, a vida é feita de escolhas, e temos que ser responsáveis por nossas escolhas sejam boas ou não.
No amor é necessário desenvolver um treinamento pra viver junto com alguém (treinar diálogo, treinar sinceridade, confiança, treinar relações sexuais prazerosas, em dar telefonemas fora de hora).
Ter sabedoria de que não existe “EU” nem o “TU”, mas simplesmente a comunhão, não há homem nem mulher, apenas NÓS.
Não há individualidade no casamento.
É o momento em que a individualidade se perde e o encontro transcende.
Muitas pessoas reclamam por não terem sido contempladas com um grande amor.
Mas será que já pararam para pensar que um grande amor é construído, que ele é fruto de nossa maneira simples de existir e de agir.
Amar é um dos dons que Deus nos deu. Por isso nós já nascemos sabendo amar.
Mas não sei porque desaprendemos.
E por isso mesmo precisamos reaprender do zero, todos os dias.
Viver momentos de desacertos no amor é normal, desde que não se torne uma constante, tentando nos condicionar que tudo vai dar certo, entendendo e respeitando determinadas dificuldades de seu parceiro e quando houver obstáculos, trace uma nova estratégia, ou seja, esgote todos seus recursos, para fazer dar certo, mas nunca esquecendo de pensar em você mesmo, sim porque de vez em quando é bom sermos um pouco egoísta.
Não permita também que os desejos e as necessidade de seu(a) parceiro sejam sempre a prioridade.
Tem de haver reciprocidade.
Temos de abrir mão de certos prazeres senão estaríamos também sendo muito egoístas.
Para acertar muitas vezes temos de errar, quero dizer fazer algumas coisas que não gostamos pra agradar nosso(a) parceiro.

A Bíblia diz: “Há mais felicidade em dar do que há em receber.” (Atos 20:35)
Isto se aplica em muitas maneiras, e, em princípio, tem sido de ajuda realística no casamento.
Lembre-se de relacionamentos onde um dos cônjuges é egoísta e quer que sua vontade seja sempre atendida não é duradoura
Por isso é que amar alguém é se colocar numa posição de fragilidade e dependência, a presença do outro se torna vital.
Mas é muito bom amar, principalmente quando esse amor é retribuído.




Postagens mais visitadas