Pular para o conteúdo principal

Destaques

Broa Caxambu (bolacha de fubá)

Acredito que você ja comprou nas padarias aquelas bolachas de fubá muito gostosas para o café da manhã ou da tarde, esta é a receita delas.

Experimente, é muito fácil de fazer.

Ingredientes:

500 gramas farinha de trigo 500 gramas fubá 500 gramas açúcar refinado 1 colher (sopa) rasa de fermento em pó 1 colher (chá) sementes de erva-doce 5 colheres (sopa) manteiga sem sal (100g)3 ovos 1 ovo para pincelar 125 gramas de margarina  
Preparo:

Peneire as farinhas.
Coloque as farinhas em uma bacia, acrescente o açúcar, o fermento e a erva doce, misture bem.
Adicione a manteiga e vá misturando com as pontas dos dedos até incorporar bem.
Em seguida adicione os ovos e misture até obter uma massa homogênea bem firme como mostra a foto (se necessário acrescente um pouquinho de água para chegar no ponto)
Unte a as assadeiras.
Modele as broas em forma de bolas, achate levemente deixando com um formato de um disco, e vá arrumando uma a uma nas assadeiras.
Misture uma gema com uma colher de café forte e …

Era diferente,




Era o ano de 1965 ou 1966, mais ou menos.

Eu tinha meus 17 pra 18 anos e meus amigos também. Éramos todos jovens, com um mundo misterioso pela frente.

Tudo era novo. Cada dia uma nova descoberta.

Íamos ao "ginásio" à noite onde nos víamos todo dia.

Era um tal de conta isso, conta aquilo, pra esse, pr'aquele;

Não havia tempo pra tristeza, mesmo com nossos pais não entendendo nada do que estávamos vivendo.

A gente sonhava acordado.

E de vez em quando nos pegavam sorrindo lá e cá, sem entender exatamente o que estava acontecendo.

Íamos ao trabalho e lá também, só jovens.

Jovens puros, diria até inocentes, e isso fazia  com que aquelas horas  eram fantásticas, pois eram brincadeiras o dia todo, fazendo o tempo urgir...

Tabus pra cima, pra baixo, proibindo isso, aquilo......


Quase todo sábado, aqueles bailinhos da comissão de formatura na casa de uma das meninas da classe pra arrecadar fundos.... Que arrecadar fundos que nada; queríamos é estar todos juntos lá, tomando um ponche, ou uma cuba-libre, olhando as meninas e se esforçando para também ser visto

Os meninos vestiam suas camisas de “volta ao mundo"  ou de  “fio de escócia” com umas calças de “nycron” e iam pro bailinho encontrar com as meninas que estavam de blusinhas de "ban-lon", saias “plissadas”  e meias  soquete.....

Rolava um rock-and-roll agitado e nem todos dançavam pois alguns não sabiam direito dançar soltinho, mas quando tocava um Ray Conniff, um Peppino di Capri, um Platters, uma lenta dos Beatles ou um Started a Joke, dos Bee Gees, você olhava no salão e não via ninguém parado.

 Tava todo mundo dançando coladinho, à meia luz;

Até aqueles que não sabiam dançar procuravam rapidinho e arrumavam um par pois não dava para ficar parado.

Uns dançavam mais rapidinhos, outros paradinhos, olhos brilhando,  até terminar aquela “seleção”.

Ninguém ficava sem par.

E quantas confidências trocadas, quantos amores surgiram, quantos pares se acharam e seguiram juntos pela vida afora, enfrentando os desafios e dificuldades que surgem na vida de todos nós......

É só uma curta fase de nossa vida, que todos tivemos.

Uns curtiram e aproveitaram mais que outros, mas todos vivemos intensamente.

E hoje, após algum tempo, quando juntos escutamos alguma daquelas canções, um olha pro outro, mesmo de longe, dando uma piscada.

Um sinal, de que  tudo aquilo que cercava aquele clima, continua vivo.

Nem sempre com a mesma intensidade, mas com o mesmo propósito.

E quando alguém que pela mão  do destino não mais está junto ouve as mesmas canções, bate pesado uma saudade, e brota lá do fundo um sorrisinho maroto mostrando que elas fizeram parte e marcaram pra sempre uma vida, uma época que quem a  viveu, viveu, quem não a viveu nunca entenderá,  pois não se consegue contar com palavras, não se consegue reproduzir o clima...era diferente.

Graças a Deus por ter nos escolhido pra viver essa época...

Antonio Dimas Bussadori

Postagens mais visitadas